segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

De frente I

Após todos esses anos de costas, resolvi encará-lo de frente, olhá-lo nos olhos e entender que ilusão não dura pra sempre.
Alguns anos foram precisos pra perceber que querendo ou não, o momento de enxergar a vida chega e que é preciso por os pés no chão.
Estou com meus pés no chão há um ano e andando de frente, sozinha.
Aos 24 anos (é cedo) criei solas para pisar na Terra firmemente e seguir em frente.
Estar sozinha dessa vez se transformou numa opção. É a única alternativa para a clareza e o redescobrir.
Estou andando de frente e olhando nos olhos de quem passar, já não sou a mesma, mas ainda posso fazer a Terra girar.
E a lição é que não preciso de alguém pra me ajudar, só do amor que vive por aqui, sem cessar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aguardo sua próxima visita!